Páginas

sábado, 15 de junho de 2013

Avestruz - Mario Prata

Avestruz
Mario Prata

O filho de uma grande amiga pediu, de presente pelos seus 10 anos, um avestruz. Cismou, fazer o quê? Moram em um apartamento em Higienópolis, São Paulo. E ela me mandou um e-mail dizendo que a culpa era minha. Sim, porque foi aqui ao lado de casa, em Floripa, que o menino conheceu os avestruzes. Tem uma plantação, digo, criação deles. Aquilo impressionou o garoto.  
Culpado, fui até o local saber se eles vendiam filhotes de avestruz. E se entregavam em domicílio.
E fiquei a observar a ave. Se é que podemos chamar aquilo de ave. O avestruz foi um erro da natureza, minha amiga. Na hora de criar o avestruz, Deus devia estar muito cansado e cometeu alguns erros. Deve ter criado primeiro o corpo, que se assemelha, em tamanho, a um boi. Sabe quanto pesa um avestruz? Entre 100 e 160 quilos, fui logo avisando a minha amiga. E a altura pode chegar a quase 3 metros - 2,70 para ser mais exato.
Mas eu estava falando da sua criação por Deus. Colocou um pescoço que não tem absolutamente nada a ver com o corpo. Não devia mais ter estoque de asas no paraíso, então colocou asas atrofiadas. Talvez até sabiamente para evitar que saíssem voando em bandos por aí, assustando as demais aves normais.
Outra coisa que faltou foram dedos para os pés. Colocou apenas dois dedos em cada pé. Sacanagem, Senhor!
Depois olhou para sua obra e não sabia se era uma ave ou um camelo. Tanto é que, logo depois, Adão, dando os nomes a tudo o que via pela frente, olhou para aquele ser meio abominável e disse: Struthio camelus australis. Que é o nome oficial da coisa. Acho que o struthio deve ser aquele pescoço fino em forma de salsicha.
Pois um animal daquele tamanho deveria botar ovos proporcionais ao seu corpo. Outro erro. É grande, mas nem tanto. E me explicava o criador que os avestruzes vivem até os 70 anos e se reproduzem plenamente até os 40, entrando depois na menopausa. Não têm, portanto, TPM. Uma fêmea de avestruz com TPM é perigosíssima!
Podem gerar de dez a 30 crias por ano, expliquei ao garoto, filho da minha amiga. Pois ele ficou mais animado ainda, imaginando aquele bando de avestruzes correndo pela sala do apartamento.
Ele insiste, quer que eu leve um avestruz para ele de avião, no domingo. Não sabia mais o que fazer.
Foi quando descobri que eles comem o que encontram pela frente, inclusive pedaços de ferro e madeiras. Joguinhos eletrônicos, por exemplo. Máquina digital de fotografia, times inteiros de futebol de botão e, principalmente, chuteiras. E, se descuidar, um mouse de vez em quando cai bem.
Parece que convenci o garoto. Me telefonou e disse que troca o avestruz por cinco gaivotas e um urubu.
Pedi para a minha amiga levar o garoto a um psicólogo. Afinal, tenho mais o que fazer do que ser gigolô de avestruz.

PRATA, Mário. Avestruz. Disponível em: www.marioprataonline.com.br. Acesso em: 14 fev. de 2008
Situação de Aprendizagem

Antes da leitura (ativação de conhecimentos de mundo a partir do título).

A – Vocês já viram um avestruz? Em caso afirmativo vocês poderiam descrevê-lo?
B – Em que ambiente vive um avestruz?
C – Na sua opinião, o avestruz poderia ser u bicho de estimação? Por quê?


Depois da Leitura (checagem de hipóteses)
A – O texto pode confirmar aquilo que vocês pensavam antes da leitura?
B – Qual é a ideia principal deste texto?
C – Há alguma palavra no texto que para vocês tenha um significado desconhecido? Quais são elas?
D – Releia o texto e tente inferir (deduzir) o significado destas palavras. É possível descobri-las? Por quê?

(exercícios de leitura - escrito)
1- A crônica de Mario Prata que tem como título “Avestruz” se refere a uma experiência compartilhada entre narrador e o menino que lhe pediu uma avestruz como presente de aniversário. No 1º parágrafo o narrador mostra claramente o desejo do menino em ganhar uma avestruz. Através de uma leitura prévia a expressão “cismou fazer o quê?”, sugere que:

(  ) o narrador se refere ao menino
(  ) o narrador se refere a mãe do menino
(  ) o narrador se refere ao avestruz

2-No 2º parágrafo culpado é um adjetivo que representa um sentimento expresso pelo narrador. Das palavras abaixo qual pode substituir o adjetivo em destaque?
(  ) obrigado
(  ) sorrindo
(  ) bebendo
(  ) indignado

3 – Retire do texto o parágrafo que aponta um conflito do narrador em solucionar o problema enfrentado por ele em relação ao avestruz, visto que aponta muitos defeitos e desculpas para dar o presente ao garoto, e já não há mais alternativa a não ser entregar o presente.

4 – Qual é o título da crônica de Mario Prata?

5 – Quem se sente culpado por apresentar avestruzes ao garoto?

6 – Em quem o narrador atribui a culpa por ter criado o avestruz?

7 – O narrador demonstra to irônico em:
a – (  ) Sacanagem, Senhor!
b – (  ) Minha amiga
c – (  ) Expliquei ao garoto
d – (  ) Cismou, fazer o quê?

8 – “Podem gerar de dez a trinta crias por ano, expliquei ao garoto, filho da minha amiga” o trecho destacado representa:
a – (  ) a fala do narrador
b – (  ) a fala do garoto
c – (  ) a fala da amiga do narrador

 9 – Qual era o desejo do menino?

10 – Por que ele tinha esse desejo?

11 – O que leva o menino a acreditar que o seu desejo poderia ser realizado?

12 – O que poderá impedir a realização do desejo dele?


13 – O que o autor quis dizer com: “Pedi para a minha amiga... Afinal, tenho mais o que fazer do que ser gigolô de avestruz.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário